domingo, 1 de janeiro de 2017

Happy New Year

Boa noite,

SIM! Eu desapareci (novamente) acabo de perceber que a última vez que escrevi foi em maio do ano passado (sim, ja podemos chamar 2016 de passado) e foi a única vez que postei algo. OMFG...
Um dos anos mais conturbados da minha vida e eu não tive coragem, ou mesmo, vontade (por que tempo eu tive de sobra) para escrever o que estava me acontecendo. Para abrir o jogo e ser real!
Talvez fosse isso que precisasse ter feito... Talvez o vlog superou um pouco essa necessidade com toda aquela falação...
Eu na verdade não sei! Um dos meus objetivos para esse ano era escrever um livro, acho que foi puro peso na consciência, afinal toda vez que eu abria o note eu lembrava que precisava escrever e CLARAMENTE não escrevia!
Mas hoje cá estamos nós... notebook aberto... pensamento correndo livre.
Sem arrependimentos pelas coisas que não foram feitas e extremamente orgulhosa do caminho que percorri, dos objetivos que conseguir atingir, dos objetivos que soube desistir (nem sempre na hora certa, mas quem está contando?)
Hoje venho humildemente agradecer pelo ano de 2016. O pior e melhor ano da minha vida... mas tentando ver o lado positivo do lado negativo, definitivamente foi extremamente importante para meu crescimento pessoal e amadurecimento.
Aquele agradecimento especial para as pessoas que fizeram parte desse ano. Família e amigos, claro! Decepções amorosas e até mesmo para você que foi meu melhor amigo esse ano meu querido "Papel de Trouxa".
Sim! Agradeço a cada pedacinho de "papel de trouxa" que recolhi e/ou deixei pelo caminho. Sem eles eu não teria descoberto uma parte da verdadeira Laura. Eu ser "trouxa" dos outros não é puramente negativo (tem um lado negativo que seria a auto-preservação e o amor-próprio que muitas vezes são negligenciados), mas também tem o lado positivo que mostra que eu sou uma pessoa boa, que aceito os sentimentos que tenho, que não tenho medo de demonstrá-los e senti-los e acima de tudo de ser sincera comigo mesma e com os outros. Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença... Nesse quesito sempre serei eu! E não acho que preciso mudar, talvez aprimorar... saber me preservar e reconhecer o momento certo. Mas nunca jamais mudar!
Antes eu queria ser algo que não era, queria ser uma nova Laura... Queria ser a Regina George das emoções, totalmente em controle da situação! Que besteira... A Laura é mil vezes mais interessante, inteligente e emocionalmente segura que as Reginas e Reginos Georges do mundo!
Posso parecer desequilibrada dentro dos meus momentos extremos de pura emoção, mas com certeza assim com sinto intensamente, agora sei que intensamente tenho força para controla-los, sem ser um ser humano frio, ainda sendo EU!

Enfim, sem promessas futuras de escrever, de mudar, de aprimorar, de crescer.. vou continuando meu caminho, mas vou tentar mantê-los atualizados. Senão vejo vocês ano que vem, junto com o Roberto Carlos fazendo meu Especial 2017!!!
(OKAY! Vou tentar mais do que isso!!!! )


Fiquem com Deus,
Amo vocês...
Laura

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Nowhere left to run

OMG!!!!! Faz tanto tempo que eu não escrevo!!!
Eu fui ver e a última vez que eu escrevi eu estava me preparando para vir pra Londres em Julho!!! Eu já vim pra cá em Julho... fui embora em Agosto... Voltei em Dezembro... Fui embora... E agora estou aqui de novo a quase 1 mês!!!
Sim este país não me deixa ir... Eu fui tomada... Tomada por uma paixão, por uma vontade louca de viver, tomada por um desejo de mudar de começar de novo, de terminar algo que já havia sido iniciado, tomada por uma força positiva que me leva para frente e que me quer feliz, bem, independente, produtiva, ativa, me amando, sendo amada...
Lógico que todas as escolhas tem seus prós e contras... Deixar a minha família, a minha dog, meus amigos.. deixar o certo.. o concreto... o confortável... Por uma mudança, por um recomeço, pelo incerto, pela bagunça, complexo, solitário... Foi bem difícil... E a adaptação ouso dizer que está sendo pior ainda que a decisão!!!! Mas vale a pena cada suor, cada lágrima, cada centavo.. cada dor.. Quando eu olho pela janela e vejo o lugar que eu sempre quis estar, vejo as possibilidades e as oportunidades... a dor passa e sou reconfortada pelo sorriso da nova manhã.
Digo de coração quando falo que dói renascer... Mas eu estava quebrada por dentro, eu estava paralisada de medo, de preguiça, de cansaço, de ansiedade, de tristeza.... E eu tentei tudo possível para mudar, melhorar e não consegui... Quando vim pra cá em Julho e Agosto minha vida se transformou - eu conheci a Laura que eu escrevia nas fanfics, eu conheci a Laura que sonhava em morar em Londres e que queria ser independente, eu conheci a Laura que deixei aqui em 2009 quando vim visitar - I found my place, but I lost my soul there - Esta frase surgiu em 2009 como esse blog, assim que eu voltei de Londres... e ela não podia estar mais correta... Quando pisei aqui em Julho eu achei a minha alma de novo... Como eu me senti bem... como eu fiquei feliz e completa...
Mas novamente meu tempo acabou e eu tive que ir embora.. e dessa vez foi muito pior eu não só deixei minha alma ( que se recusa a vir comigo) mas eu também deixei alguém para trás... Eu deixei meus planos de vida.. eu deixei meus sonhos... eu deixei uma promessa de voltar!
E depois de trancos e barrancos, depois de quase novamente me perder eu vim cumprir a minha promessa, e cá estou eu! De volta a mim mesma!!! Na minha casa!!!
AI LAURA Q LINDO! DEVE TER SIDO TUDO FACIL.. UM FILME!!!!
Não se engane... eu to bem.. eu to feliz... eu to me completando cada dia mais... mas não é fácil... é solitário, é desesperador, é ameaçador, é muito dificil quebrar padrões negativos na sua vida... é muito dificil se amar... é muito dificil ter só você e se bastar em você e lidar com você e aprender com você e crescer com você e só você o tempo todo!!!
Eu nunca fiquei tanto tempo comigo mesmo... eu morro de medo de mim, das minhas capacidades, das minhas incapacidades (mais ainda), tenho medo de acertar e mais medo ainda de errar, tenho medo de ser boa e me frustrar quando eu não for, tenho medo de ser ruim e não me bastar... Tudo é novo! Mas todo dia o novo me leva a algum lugar.. eu não estou mais paralisada... o medo agora me leva pra frente, o medo agora é meu melhor amigo... Ele não me deixa ansiosa ou triste (não o tempo todo pelo menos)... O medo agora me alimenta de possibilidades, me ajuda a buscar novas respostas... eu não fujo mais... por que no fim do dia não tem onde se esconder!

Não sou mais eu! Mas não mudei...
Sou eu mesma mas totalmente diferente...
Não quero ser eu... quero ser mais eu... só eu...
Me achei... me acho todos os dias... e me perco de novo...
Só... Não me escondo mais!

quarta-feira, 17 de junho de 2015

"...and all I got is your hand..."

Enquanto espero o The Sims 4 atualizar pensei em escrever, já que faz milênios que não o faço. Como sempre: Eu penso em escrever, até abro a página do blog, até escrevo...
Provavelmente deve ter uns 20 rascunhos salvos aqui e com certeza eles vão se manter rascunhos... rascunhos de coisas que gostariam de ter sido ditas (ou não), fatos e atos que aconteceram no passado que queriam ter sido importantes e não foram! Para o bem ou para o mal!

Não eu não estou triste, nem chateada, nem depressiva, nem na bad, nem em crise existencial ( como normalmente eu estou). Eu estou igual a página do blog quando eu abri o site... em branco!
Prestes a escrever alguma história emocionante ou apenas voar com o vento quando for solta. Não sei! E definitivamente eu não quero saber... quero deixar rolar.
Como sempre cansei de meter os pés pelas mãos... estou tentando me manter fora de problemas.

Em pausas reflexivas feitas nesses últimos dias eu percebi que talvez as melhores e as piores coisas da minha vidinha pacata aconteceram por conta da minha impulsividade. As boas não tem por que reclamar, mas com certeza elas aconteceriam da mesma forma eu forçando-as ou não... Mas as más... O que me assombra é pensar que talvez eu estraguei algo que poderia ter sido bom!
Enfim... nunca vou saber e não posso lamentar para sempre...
A frase clichê para esse momento é: Quando não é para ser, não adianta!
Acho que isso descreve meus tormentos e expectativas sobre os momentos passados nos últimos anos. Mas juro à todos que estão lendo esse post nesse momento (provavelmente só a minha mãe, então - mãe!) que eu estou fazendo o meu melhor para que isso não se repita (propositadamente).

Eu coloco dessa maneira, por que eu sei que haverá momentos na vida que terei que me jogar para poder atingir algo! Entretanto,  não posso viver a beira de abismos a todo instante, além de perigoso é muito desgastante. Ter que estar sempre atenta para não cair, sempre alerta aos perigos comuns e mais aos que eu mesma proporciono. Então... sim! Equilíbrio...
Acho que agora estou preparada para essa jornada pessoal:

Auto-conhecimento + Buscas + Caminhos + Dificuldades + Equilíbrio - Expectativas!

É muito possível que eu já tenha abordado esse tema recentemente... Atitudes, escolhas, resultados... Talvez seja a minha forma de pedir desculpas, ou mesmo, tentar entender uma parte do meu desenvolvimento que foi comprometido por questões bioquímicas, mas também por questões pessoais. Existem pessoas as quais eu gostaria de todos os dias me desculpar pelas péssimas escolhas que fiz, pelas minhas confusões, por não entender o que acontecia comigo, nem com o mundo.
Contudo, perceba o erro nessa frase... eu queria me desculpar ao outro pelo mal que infligi à mim mesma ( coisas que as vezes nem eu mesma considerei mal, mas foram consideradas ruins dentro de um padrão de comportamento pré-estabelecido ). Lógico que se eu te magoei, eis aqui meu pedido de desculpas! Mas por que eu sinto essa necessidade de ser aceita e agradável e correta sempre.

Preciso entender que eu não sou perfeita... na verdade longe disso. Eu sou apenas mais um ser humano que coexiste no planeta Terra desde 1989 até o presente momento. Com vontades próprias, sonhos, desejos, medos, mimos, as vezes legal, mas as vezes muito chata. Paciente e impaciente para as mesmas coisas em momentos diferentes. Amo tudo até que se prove o contrário... Tenho pavor de borboleta e acredito em espíritos. Fui criada por uma família estável financeiramente que batalhou muito para chegar onde chegou e que com seus erros e acertos fizeram e fazem tudo por mim e para meu desenvolvimento. Fisicamente eu puxei os Defávoris... a altura, o quadril, o cabelo, o queixo e os olhos... Psicologicamente eu puxei os Pereiras... criativa, intuitiva, imaginativa, paranóica... Algumas características são minhas mesmo... Gosto de ouvir música, dançar, cantar e fazer os 3 no carro! Sou pirracenta e preguiçosa, mas as vezes a preguiça vem por que eu tenho um pouco de TOC e prefiro não fazer a ter que fazer do jeito que minha cabeça acha que eu deveria fazer. Te amo! Estou me amando! Amo a Deus e a minha família - considero meus cachorros parte da família e acho que vou ser avó nos próximos meses. Acredito no poder da palavra, sou extremamente textocêntrica... analiso letra de música, conversa no zapzap, tinha mais costume de ler do que atualmente, mas estou tentando voltar. As vezes me acho uma velha num corpo de jovem, as vezes me acho uma jovem no corpo de velha, isto tudo devido as dores eternas que sinto nas minhas costas. Odeio que me peçam pra fazer algo duas vezes, se eu disse que vou, eu vou no meu tempo! Mas odeio mais ainda que me peçam para fazer algo que eu já vou fazer naturalmente. Ainda mais quando isso inclui o fato deu ter que pausar meu seriado para ir ouvir a ordem. Gosto de sair à noite, mas sinto falta de roles à tarde mais de boa. Sou romântica quando quero. Mas tudo tem sua hora e lugar. Dominadora, mas adoro ser dominada. Já fui da fase do rosa, do preto, acho que agora eu to na fase das cores pasteis, mas na verdade não tenho mais uma cor. Vou a praia, mas gosto do campo... E quase nunca entro no mar. Acompanho a parte cultural, esportiva, nerd, entretenimentos em geral porque para mim é tudo importante. Me arrependo de não ter feito basquete na escola e não ter feito ballet. Eu também queria fazer ginástica olímpica, mas minha mãe disse que eu era muito grande e desengonçada - ainda sou. Sou amiga... e dou conselho para minhas amigas, mas muitas vezes eu mesma não sigo. Mas não sou tão companheira, por que têm vezes que prefiro ficar sozinha. Gosto de ser o centro das atenções, entretanto eu detesto ser notada em algum lugar quando chego. Tem vezes e lugares que eu me sinto inadequada por motivos ridículos, tem vezes e lugares que as pessoas que fazem ou me sentir inadequada por motivos mais ridículos ainda. Tenho medo de morrer e de ficar sozinha. Quero ser mãe e provavelmente minha filha vai se chamar Annie ou Amy ou Amélia e o menino Marcelo ou Theo. Nunca vi neve. Já fui assaltada. Tenho sonhos perigosos. Gosto de estudar. Queria saber andar de patins e encontrar sapatos da Melissa no meu número. Raramente consigo ir ao banheiro sem ligar para a Angélica, e não, nós duas não namoramos. Acredito que existem almas gêmeas e tenho quase certeza que já achei as 3 - que uma vez minha mãe disse que nós tinhamos 3 almas gêmeas - se esse é o caso tô lascada por que duas são mulheres e uma é um amigo. Acho que já estou sem saber o que falar de mim embora exista muito mais... Quero o bem de todos, mas estou aprendendo a falar Não! e pensar no que é bom para mim também. Amo comida japonesa, Spoletto, músicas remix na internet e vídeos de criança, Harry Potter, McFly e Londres - vou pra lá. Essa sou eu.. esse é o pacote...

Mas acho que o mais importante: Nada disso é minha culpa!
São coisas que simplesmente são, como são, por que são.
Odeio inveja... odeio que sintam inveja "de mim"... por que a grama do vizinho sempre parece mais verde, mas pula lá que você vai ver as pragas que ele tem que enfrentar todos os dias.
Sou feliz por que quero, não pelas coisas que tenho! Sou feliz por que amo, não pelas coisas que tenho! Sou feliz por que tenho uma família e amigos que me amam, não pelas coisas que tenho! Fico triste quando se importam com as coisas que tenho, não com as coisas sou! E tem momentos que só estou normal por que não sou obrigada a ficar feliz sempre!



segunda-feira, 30 de março de 2015

It's me against the WORDS!

            É de conhecimento geral que nosso corpo é de carne e osso, cientificamente comprovado que somos formados de uma junção de tecidos e órgãos que por sua vez são uma junção de células, que por sua vez são uma junção de organelas que microscopicamente realizam as reações químicas necessárias para nossa existência. Mas nossa alma, nossa alma, tem uma outra matriz de geração. Algumas pessoas são uma junção de figuras – criadas ou dadas a elas quando criança –, outras são músicas, outras são silêncios e isso monta a personalidade de cada um, seu modo de ver a vida e de se relacionar.
            Eu sou feita de palavras. Nasci sujeito de uma frase na qual minha família era predicado, mas não qualquer predicado, eles sempre foram predicativo do meu sujeito, um adjunto adnominal por estarem tão perto, mas tão perto que fica impossível transitar ou colocá-los em outra posição na sentença de minha vida.  Admiro a força deste adjunto, pois eu sei que meu sujeito as vezes é indeterminado, ou mesmo, inexistente quando quer fugir do mundo, mas independente disso lá estão eles.
            Entretanto, eu também sou um substantivo. Um substantivo próprio, afinal dou nome a algo ou alguém. E isso é uma grande responsabilidade, ser o meu próprio “Eu, ter uma identidade e não se permitir confundir com qualquer substantivo concreto comum.  Mesmo quando a vontade de sumir é tão grande, mas tão grande, que você só quer ser uma substantivo abstrato e boa! Afinal, nem sempre é confortável ser seu próprio substantivo sem nenhum adjetivo ali para te dar um suporte.
            Falando em adjetivos – eu preciso dizer – são os meus melhores amigos, dão sentido a minha frase, complementam a minha vida, dispensáveis ou não para o entendimento completo da sentença. Tornam os lugares mais agradáveis, as pessoas mais queridas, assim como, tornam os medos mais terríveis. Quem nunca sonhou com a vida perfeita!
            Mas ser e ter tudo isso só é possível  através dos verbos. Eu nasci verbo quando alguém me pariu. Cresci. Estou vivendo, mesmo que seja com um verbo auxiliar, ninguém consegue tudo sozinho. Busco conhecer, me conhecer, aprender com o verbo de ligação os pontos fundamentais da vida. Seja no tempo verbal que for presente, passado ou futuro. O  indicativo disso é que o futuro do pretérito aprende com o pretérito perfeito os caminhos da história para me guiar e acertar no presente. O pretérito mais que perfeito, por acontecer depois do passado já sabe mais, por isso ensina o futuro a ser melhor. Uma grande jornada para controlar os imperativos impulsos que querem estabelecer a desinência pessoal e temporal das palavras que nos denominam.
            Palavras... dizem tanto, mas ao mesmo tempo podem não dizer nada! Talvez hoje eu saiba menos sobre mim do que ontem, mas tenho uma dezena de palavras a mais para me descrever. Julgamentos, pré-conceitos, discriminação tudo por conta de palavras. Ideologias, brigas, desentendimento e discussões tudo através das palavras. Existe o bom e o mal? Quem decidiu que bom seria bom e mal seria mal? Signo, significante e significado! Palavras...

            No fim do dia acho que a única palavra que deveria definir a todos é AMOR, mas será que eu realmente sei o que essa palavra significa?

sábado, 21 de março de 2015

A means to an end!

Venho por meio desta formalmente informar que estarei desativando minhas redes socias para conseguir estudar!
Sim eu disse conseguir, por que hoje eu passei quase 3 horas deitada na cama, ouvindo a chuva, refletindo sobre alguns aspectos lixos da minha vidinha pacata - um deles o fato deu não estar estudando - e flutuando entre facebook e zapzap, para fazer exatamente nada!
Por que em 3 horas o máximo que você faz é dar os parabéns a uma pessoa muito querida, reclamar da vida e dos relacionamentos com suas amigas e tentar aprender algumas dicas da turma da paquera com um amigo que te chama de velha só por que você curte os "novinhos".
Portanto, achei que seria mais adequado para o atual momento que estou vivendo me privar, já que de forma consciente e pelo livre arbítrio que me é dado eu não consigo me controlar, de entrar nas redes socias. E vagar eternamente...

Para as pessoas que eu costumo conversar... NÃO EU NÃO TE BLOQUIEI!  (sem ataque de SIS)

Para as pessoas que vão falar que isso é exagera... Eu sei! Mas tempos extremos, pedem medidas extremas e eu preciso realmente aprender a me focar!

Para as pessoas que me apoiam, mas ainda querem falar comigo... Podem me mandar sms, podem me ligar, mandar carta (*--*), sinal de fumaça... Entrarei em contato assim que possível!

Para as pessoas que acham que eu irei me alienar do mundo.. BOM... talvez sim, talvez não...  Mas tentarei manter esse blog atualizado, então se algo de interessante se passar comigo, ou com vcs, ou com o mundo.. bom pode vir aqui e compartilhar comigo, assim como estarei compartilhando com vcs!

Não foi uma decisão fácil, nem tomada da noite para o dia.. eu venho ensaiando esse momento!!!

Em relação ao facebook eu não vou cancelar para as pessoas poderem me marcar nos eventos.. e fotos.. por que eu acho interessante essa linha do tempo da vida que o face pode proporcionar! Só aviso que não estarei respondendo mensagens e outros!!!!
Talvez eu entre de vez em quando para checar, mas não teria a senha em meu poderia... só sob supervisão e com horários controlados!

Cárcere da minha própria rede social...mas acho que é a atitude mais saudável para minha vida.. em vários aspectos dela.. eu to cansada dessas facilidades que não facilitam... dessas amizades que não são amigos... do muito cheio de vazios...

Obrigada pela compreensão!
Amo todos s2
Fiquem com Deus.

domingo, 16 de novembro de 2014

Blank Space

Já faz semanas que eu entro no blog, abro, leio algo, clico em "Nova Postagem" e então... Vou cantar, ouvir musica, dançar pela casa, brincar com a dog, ver filme e qualquer outra coisa que distraia minha ideia das coisas que eu gostaria/preciso dizer.
Não é nada dramático ou sofrido, como foram meus últimos meses. Após algumas doses de sanidade em cápsula eu estou bem - centrada - e coerente com minhas atitudes, entretanto, NOT ENOUGH!
Relendo e relendo minhas postagens eu jurei que aquilo era um capítulo fechado da minha vida... Não disse resolvido! Disse fechado... tipo COLD CASES - aqui estou eu novamente! O por quê só Deus sabe. Talvez seja por que a sensação é muito boa e juro que parece ser saudável, mas se é saudável porque estou assim? Com esse enorme ponto de interrogação na minha cabeça...

Final de semana após final de semana eu tenho feito provas de vestibular e respondendo as mais variadas questões do mundo sobre os mais variados assuntos, mas este assunto, este particular assunto o qual eu acreditava entender - nem que minimamente - eu não tenho respostas!
Já tentei analisar isso de forma Histórica, através de padrões de comportamento e analise de fatos, tentei de forma Geográfica, através das movimentações e localizações dos corpos e pessoas. NADA! As Humanas pela primeira vez não foi capaz de me ajudar - no Português palavra por palavra foram avaliadas, verbos, adjetivos, advérbios... tudo diz muito, mas não diz nada.
Então parti para as Exatas, talvez um pouco de senso lógico sobre a situação pudesse me ajudar. Matematicamente tudo parece se encaixar a soma das coisas, dividido pela disponibilidade das pessoas, mas o resultado não bate com nenhuma resposta do gabarito. Se existe Química? COM CERTEZA! Mas parece ser Fisicamente impossível encontrarmos uma variável no tempo e espaço que ajude na velocidade desse sistema, ou mesmo, que acelere o movimento da Terra e faça que com o tempo eu encontre a resposta que está faltando!
O complicado é que Biologicamente está tudo certo, o timming, as vontades, os desejos, os sonhos, está como deveria estar, mas então entram fatores inter-específicos da sociedade que vivemos que atrapalha todo um processo natural. O reconhecer das intimidades dos corpos sem a necessidade de se expor. Tão saudável, tão fofo...
Acho que nem Freud explica o que estou tentando expressar aqui... Por que eu quero saber sem saber! Eu quero um sinal mais claro, mas não quero uma luz mais forte. Eu só queria... você. (Mas você eu tenho de um jeito ou de outro)

É BRASIL! Quando dizem que mulheres são complicadas eu assumo e assino embaixo. Não tem como negar que fazemos coisas que fogem o controle e as vezes piramos. Mas neste caso, neste caso em particular, não sei se é só a mulher o problema... Eu acho que é um sistema! E isto me faz pensar algumas coisas - que eu não gostaria de pensar e que acho que não estou pronta nem para escrever, por que senão eu estarei assumindo que as pensei.

Fico por aqui, por que tenho coisas para fazer e JURO que pretendo escrever mais.
Mas deixo a vocês, ou melhor a mim mesma, uma questão para ser respondida, com base nos Textos de apoio, em uma redação de no máximo 30 linhas, seguindo o padrão da norma culta da língua brasileira, em um texto discursivo-argumentativo:

QUAL O MOTIVO DISSO TUDO? ALGUM DIA VAI MUDAR? SENTIR ou NÃO, EIS A QUESTÃO.




quinta-feira, 2 de outubro de 2014

"...It's like I got this music In my mind, saying it's gonna be alright..."

Depois de dormir aproximadamente 12 horas seguidas parece que meu cérebro está ligado no 220 V, mas eu prometo que vou escrever e dormir para conseguir acordar em um horário decente amanhã.
Eu queria dizer tanta coisa...
Como eu sinto um vazio da vida ou como eu estou com medo do amanhã, mas tudo que eu quero dizer parece tão inútil quanto sentir essas coisas! Odeio essas crises existenciais...

Eu preciso começar a enxergar as coisas boas, afinal de contas o tempo está passando e a única que está perdendo com isso sou eu.

CHEGA DE AUTO-BOICOTE!

Então isso não é uma promessa, nem mesmo uma obrigação.

É apenas uma nota metal para aqueles momentos de black-out cerebral!

Laura,
Você é um pessoa extremamente abençoada, tem pais maravilhosos ( e que te amam), teve o privilégio de ter uma boa educação e no caminho fazer amigos para vida toda. Cursar a faculdade dos seus sonhos, viver a liberdade e conhecer o mundo - no meio tempo ainda encontrar irmãos perdidos que te amam. Depois de formada você agora está tendo a oportunidade de começar uma nova carreira que será capaz de providenciar a estabilidade emocional, financeira, e outras que você tanto busca, e claro, rodeada de pessoas que te admiram, que acreditam em você e querem ver o seu sucesso.
Então, por gentileza, acredite em você, confie nas suas decisões racionais e mais do que tudo VIVA!

Um grande abraço,
Da sua mais que melhor amiga,
Laura.

Boa noite!

sexta-feira, 13 de junho de 2014

"...should I stay or should I go..."

Algumas decisões são mais difíceis do que outras. Quando está tudo lindo, calmo e tranquilo nem sempre significa que está tudo bem, assim como quando está tudo bagunçado nem sempre significa que as coisas não tem mais conserto!
Talvez eu tenha achado a solução, mas com certeza vai ser mais complicado do que resoluto...
Eu sei que a proposta inicial dos meus objetivos atuais sempre foi essa - Entrar em uma universidade! - mas agora ter isso como objetivo de vida me parece tão vago.
Eu jurei que não iria tentar me apaixonar, mas eu acho que eu falhei grandão... Me apaixonei pela vida, por mim e feliz ou infelizmente por você... É uma pena que gostar não seja o suficiente! É uma pena que a vida requeira mais de nós!
Além de ser uma pessoa boa, com um pouquinho de maldade, engraçada mas com seriedade, estudiosa, mente aberta, disciplinada, aventureira, caseira mas baladeira socialmente, arrumada sem ser perua, desleixada sem ser mulamba tem que fazer tudo isso e não cair na friendzone! Que saco...
Odeio não conseguir odiar essa situação!
Odeio saber que eu só gosto de você por que você é diferente... odeio mais ainda sempre ter sabido que isso nunca daria certo! Odeio quando eu estou certa sobre as coisas!
Se não fosse o maldito acaso e minha maldita mania de correr atrás... Se eu me arrependo?
De jeito nenhum... Se eu faria denovo?
Não tenho tanta certeza assim... não sei o que seria pior!
Enfim, página virada... Um dia a gente ganha e no outro a gente perde, como uma partida de basquet!

Independente do que acontecer nos proximos meses... do que acontecer com você, comigo e com a vida - a única coisa que eu posso garantir é que: Não há mal que não venha para o bem, pois este estranho amor pela vida é novo para mim... estou encantada, mas preciso voltar a viver - acho que eu estou amedrontada de como a vida andou depois que eu comecei a vive-la - preciso achar meu caminho de novo seja ele qual for!!!
Mas antes de tudo eu preciso dormir...
Por que amanhã tem vestibular!

Fiquem com Deus!

segunda-feira, 9 de junho de 2014

"...I still miss you..."

Aquela estranha mania de sentir falta das coisas que nunca tive!

Saudades de morar em Londres!
Saudades de andar pelas ruas e trombar com o amor da minha vida, enquanto tomo um café distraida ouvindo música no Ipod. (Saudades de ter um Ipod!)
Saudades de trabalhar numa revista, numa agência de publicidade, casa de show...
Saudades dos mais que amigos imaginários!
Saudades da pureza dos sentimentos, das loucuras de amor, das idas e vindas, da infância!
Saudades das amizades, das risadas, das histórias...

Saudades de estar com você!
Saudades de segurar sua mão na porta da escola numa visita inesperada.
Saudades de andar abraçadinho no shopping...
Saudades de andar perdido de carro pela cidade ao seu lado!
Saudades dos telefonemas de madrugada e da tristeza por estarmos longe!


Saudades de quando os livros de romance me faziam feliz... agora eles me deixam triste.
Triste em saber que tudo que sonho quando coloco a cabeça no travesseiro é só sonho!
Eu não estou em Londres, não sou uma grande qualquer coisa, não tenho um Ipod, nem tomo café pela manhã, não acredito mais no amor, não seguro sua mão, não rio das suas piadas e não tenho você - seja você quem for!!! Por que não tenho nem um você para chamar de alguém!

É minha gente é real! Essa história de ficar passando comerciais de Dias dos Namorados na televisão chateia qualquer mulher amargurada e solteira como eu!
Ano passado nada disso me incomodava, minha preocupação era "como fazer para agradar aquele alguém especial"... Bom o tempo passou e o momento esfriou!
Se eu estou dizendo tudo isso por que eu sinto falta "daquele alguém especial"? A resposta é não... E fica aqui registrado para a história da minha vida:

"Ei você! Que algum dia já foi alguém para mim... aquela pessoa que eu colocava a cabeça no travesseiro e beijava em pensamento. O meu muito obrigada! Se você foi importante cumpriu seu papel! E minha felicidade é saber que você está feliz! Sempre... por que quando você gosta de alguém e se importa isso nunca passa... Em alguns casos você se tornou meu amigo - broderagem 100% - em outros casos a distancia foi a melhor solução! Mas seja qual for o caso. Obrigada!"

Dito isso, deixo bem claro que meu sentimento de solidão e carência, somado a este mês do ano, não é para ninguém em especial, mas também não é para ninguém! É para mim!
Existem pessoas de todos os tipos na minha vida que me impulsionariam a dizer palavras bonitas e cheias de sentimentos... que até talvez eu já o tenha feito, mas de verdade acho que por tudo que já passei ainda não sei o que significa AMAR uma pessoa.

E EU PRECISO DESCOBRIR!!!! Antes de me envolver com outras pessoas... porque eu estou cansada de sofrimento, desentendimentos, complicações....
Eu tenho uma noção do que seria o amor e realmente não acredito que esses sentimentos acima citados se enquadram nesta perspectiva.
Então talvez este momento todo me deixe romântica, pensativa, carente e choramingona, mas vai passar... (assim espero!)

Para finalizar esse pensamento talvez eu precise ser um pouco mais romântica...
Ou um pouco menos!!!!!




quarta-feira, 4 de junho de 2014

Breaking BED!

Reflexão para dormir...

Está frio e tenho preguiça de tirar a roupa pra colocar o pijama!
Amanhã ainda é quinta e eu achei o dia todo que hoje era quinta!
Redes sociais cada dia mais nos tornam anti-sociais!
A incrivel necessidade que a sociedade tem de nos aprisionar na infância!
Bem e Mal é totalmente questionável!
Eu tenho mais sentimentos que palavras, mais palavras que ações, mais ações que verdades!
Quanto mais me conheço, mais me surpreendo!
Fui tola, sou tola e sempre serei tola, mas não em mesmo grau!
Sou carente...


Esta noite eu pensei em pegar o carro e ir te ver
Então eu refleti e fui dormir!

Talvez eu tenha falado de mais, talvez eu não tenha dito tudo, talvez eu já tenha dito isso antes, talvez dessa vez seja verdade, talvez não!

Boa noite!